Notícias do Sindimoc

Imagem

Ônibus de Curitiba terão passagem mais barata a partir de outubro; veja as linhas

Curitiba, 27 de setembro de 2019 | 08h24

Imprimir   Enviar por e-mail

Dezessete linhas de ônibus de Curitiba - três delas que integram em terminais - terão passagem mais barata fora do horário de pico a partir do dia 16 de outubro. A redução de R$ 4,50 para R$ 3,50 foi anunciada pelo prefeito Rafael Greca (DEM) na manhã desta quinta-feira (26), durante sanção do projeto de lei que autorizou preço diferenciado no transporte público nos horários de menor movimento.

Na intenção de atrair mais usuários para o transporte público, a nova tarifa vai vigorar nos horários das 9h às 11h e das 14h às 16h. Valerá para passageiros que usarem o cartão-transporte e apenas nas linhas determinadas, definidas como uma amostra experimental para saber o quanto a cobrança diferenciada pode afetar o caixa do sistema. Se o retorno for viável, a flexibilização do custo da tarifa poderá ser ampliada para outros itinerários.

"A ideia é começar agora e ir ampliando. Vamos fazer testes até o final do ano e olhar para o comportamento de cada uma das linhas. Então, a gente decide se permanece ou não", explicou o presidente da Urbs, que gerencia o transporte público de Curitiba, Ogeny Pedro Maia Neto. "Em 90, 120 dias dá pra ter certeza como o público respondeu, se entendeu como funciona a utilização desta tarifa", afirmou.

Para decidir quais ônibus fariam parte do projeto, a Urbs disse ter levado em conta o alcance das linhas, o volume de passageiros transportado e o percentual de ociosidade de cada uma delas. As escolhidas têm queda de 21 a 27% nos horários de entrepico, enquanto a queda média total do sistema é de 18%.

Segundo Maia Neto, linhas maiores e responsáveis pelo maior volume diário, como os expressos e as linhas diretas, não entraram no pacote porque, além de terem baixas menores nos intervalos mais tranquilos, poderiam arriscar a equilíbrio financeiro do sistema diante de um possível fracasso da proposta.

"As linhas de canaletas, dos expressos, são linhas que têm um grande número de pessoas que são subsidiadas. E temos que estar de olho no equilíbrio financeiro do sistema também. Precisamos ir com tranquilidade. Se abrir uma linha desta e dar errado vai dar muito ruim", justificou o presidente da Urbs.

As linhas selecionadas transportam, juntas, 80 mil pessoas por dia. Das 17 escolhidas, duas delas - Solar (212) e São João (213) - fazem integração no terminal do Cabral. A Tingui (214) liga os terminais Santa Cândida e Cabral. As demais não passam por terminais, mas ligam bairros ao Centro ou percorrem localidades relativamente distantes umas das outras.

Entrepico
Embora tenha se pautado no projeto de lei aprovado recentemente pelos vereadores de Curitiba, o desenho das tarifas flexíveis anunciado nesta manhã incorporou intervalos menores para o teste. Na proposta debatida da Câmara, foram considerados como horário de menor movimento no transporte das 8h30 às 11h; das 14h às 17h; e das 20h até o fim do serviço.

Para a Urbs, no entanto, os períodos das 9h às 11h e das 14h às 16h - que é o que vai valer para a tarifa diferenciada - é o que concentra o vazio mais intenso de passageiros. "São nestes horários que existe uma queda de passageiros, que a frota fica ociosa. Os custos acontecem, mas não tem passageiro suficiente", comentou o presidente, alegando que o turno da noite ficou de foram por causa da própria dinâmica dos usuários. "É dentro do horário comercial que as pessoas se locomovem. À noite o fluxo é muito baixo e a partir das 20h a frota começa a reduzir".

Veja as linhas contempladas:

Alimentadoras

  • 212 Solar (integra no terminal do Cabral);
  • 213 São João (integra no terminal do Cabral);
  • 214 Tingui (entre os terminais Santa Cândida e Cabral).

Convencionais

  • 265 Ahu/Los Angeles (liga os bairros Ahú e Seminário passando pelo Centro, com parada na Praça Rui Barbosa);
  • 285 Juvevê/Água Verde (liga os bairros Juvevê e Água Verde passando pelo Centro, com parada na Praça Rui Barbosa);
  • 380 Detran/Vicente Machado (liga os bairros Tarumã e Batel passando pelo Centro, com parada nas Praças Zacarias e Tiradentes)
  • 661 Lindoia (liga o bairro Lindoia ao Centro de Curitiba, com parada na Praça Rui Barbosa);
  • 662 Dom Ático (liga a região Dom Ático, no Capão Raso, ao Centro de Curitiba, com parada na Praça Rui Barbosa);
  • 666 Novo Mundo (liga o bairro Novo Mundo ao Centro de Curitiba, com parada na Praça Rui Barbosa);
  • 860 Vila Sandra (liga a região da Vila Sandra, na CIC, ao Centro de Curitiba, com parada na Praça Rui Barbosa);
  • 870 São Braz (liga o bairro São Braz ao Centro de Curitiba, com parada na Praça Tiradentes);
  • 965 São Bernardo (entre Santa Felicidade ao Centro de Curitiba, com parada na Praça Tiradentes);
  • 176 Parque Tanguá (entre o bairro Tanguá e o Centro, com parada na Travessa Nestor de Castro);
  • 387 Palotinos (entre a região Palotinos, no Cristo Rei, ao Centro, com parada Praça Rui Barbosa);
  • 461 Santa Bárbara (entre a região Santa Bárbara, no Uberaba ao Centro, com parada Praça Rui Barbosa);
  • 470 Guabirotuba (entre o bairro Guabirotuba e o Centro, com parada na Praça Rui Barbosa);
  • 760 Santa Quitéria (entre o bairro Santa Quitéria e o Centro, com parada na Praça Rui Barbosa).

 

Fonte: Gazeta do Povo

Compartilhe esta notícia
   
 

Comente esta notícia

Nome

E-mail

Empresa

Digite o código ao lado

código captcha

Comentário (máximo 600 caracteres) | Restam: